Visualizações 44

Suicide By Cop: 15 sinais de alerta de que você pode estar envolvido em um.

O suicídio por policiais ocorre quando uma pessoa quer morrer, mas não quer ou não consegue se matar.

O vídeo ao lado serve para ilustrar a potencial situação. Eu não estava lá e muito menos sei o que realmente aconteceu, porem utilizamos esse vídeo para ilustrar a situação que é muito comum e que possivelmente nunca demos muita atenção. 

O vídeo não serve como entretenimento e sim como didática para aqueles que levam a profissão a sério.

O suicídio por policiais ocorre quando uma pessoa quer morrer, mas não quer ou não consegue se matar.

Esse indivíduo então, se coloca em uma posição onde um policial é forçado a atirar nele.

 

Risco para o Atendimento

Os incidentes de suicídio por policiais são extremamente perigosos para os policiais porque eles nunca sabem se o indivíduo tentará matá-los ou não.

Alguns indivíduos suicidas apontarão uma arma vazia para a polícia porque sabem que a polícia atirará de volta em autodefesa.

No entanto, outros terão uma arma carregada e vão querer matar o maior número de policiais possível antes de morrerem.

A maioria dos policiais que estão envolvidos em incidentes de suicídio por policiais sofrem dificuldades emocionais depois, e às vezes até sofrem de transtorno de estresse pós-traumático.

E algumas pessoas que morrem de suicídio pelo policial deixam notas explicando suas razões para tomar suas ações, e às vezes pedem desculpas aos oficiais.

O suicídio por policial ocorre mais freqüentemente do que a maioria das pessoas imaginaria. Em um estudo que foi publicado no Annals of Emergency Medicine, os pesquisadores analisaram dados de Los Angeles County Sheriff’s Department.

Os pesquisadores concluíram que o suicídio por policial era surpreendentemente comum e o número de incidentes estava aumentando.

Os pesquisadores estudaram dados de 1987 a 1997 e descobriram que 11% dos tiroteios envolvendo policiais foram de suicidas que se encaixam nesse perfil.

Outros achados do estudo sobre aqueles que estavam envolvidos em incidentes de suicídio por policiais:

  • 98 por cento eram do sexo masculino
  • 39 por cento tinham história de violência doméstica
  • Muitos indivíduos abusaram de álcool e / ou drogas
  • Muitos indivíduos tinham antecedentes de tentativas de suicídio
  • Cerca de 50% das armas usadas estavam carregadas
  • 17 por cento usado um brinquedo ou réplica de arma

Lembre-se que, embora uma resolução pacífica seja certamente o resultado desejado, não deve vir à custa de sua segurança.

Nos casos em que uma “conexão” entre o sujeito suicida e o policial interveniente não esteja acontecendo, o sujeito pode ver a morte como sua única fuga da voz agitada do policial.

Infelizmente, o policial, vendo que seus esforços para resolver a situação pacificamente não estão sendo eficazes, tenta ainda mais e de forma mais agressiva, o que só agrava o interesse do sujeito na fuga e morte.

Gerenciamento de Crise

O Dr. Barry Perrou, Psy.D, fundador do Instituto de Pesquisa de Segurança Pública e ex-chefe de uma equipe de gerenciamento de crise em tempo integral, é um especialista no suicídio por esse fenômeno. 

Recentemente, ele serviu como um contribuinte importante para um excelente livro, “SUICÍDIO BY COP: INDUZINDO POLICIAS PARA ATIRAR.

Este LIVRO revela insights essenciais sobre o suicídio por POLICIAIS e compartilha as descobertas com potencial de salvar vidas depois de analisar incidentes reais de  SbC.

Através de sua pesquisa, o Dr. Perrou identificou 15 indicadores que podem ajudá-lo a reconhecer se você pode estar enfrentando uma situação de SbC.

Os 15 indicadores são:

  • O indivíduo esta barricado e se recusa a negociar.
  • O Indivíduo acaba de matar alguém, particularmente um parente próximo, sua mãe, esposa ou filho.
  •  O indivíduo diz que ele tem uma doença que ameaça a vida.
  • As exigências do indivíduo a polícia não incluem negociações para a fuga ou a liberdade.
  • O indivíduo sofreu uma ou mais mudanças de vida traumáticas (morte de um ente querido, divórcio, devastação financeira, etc.)
  • Antes do encontro, o indivíduo doou todo o seu dinheiro ou posses.
  • O indivíduo tem um registro de assaltos.
  • O indivíduo diz que só se renderá ao responsável.
  • Informações levantadas indicam que ele pensou em planejar sua morte.
  • Tem manifestado interesse em querer morrer de forma “machista”.
  • Tem manifestado interesse em “sair em grande forma.”
  • O indivíduo expressa sentimentos de desespero ou desamparo.
  • O indivíduo dita sua vontade aos negociadores.
  • O indivíduo exige ser morto.
  • O indivíduo fixa um prazo para ser morto.

Fique Atento

Se você achar que uma compilação destes indicadores está presente na cena que presencia, esteja ciente de que você pode estar lidando com um sujeito que quer ser morto e alguém que pode estar disposta a tomar quaisquer medidas para alcançar esse objetivo, incluindo, é claro, atirar em você. 

Em situações como esta, a vigilância tática é crítica. Seu reconhecimento do fato de que um sujeito está interessado apenas em ter você atirando nele não deve fazer com que você hesite em fazê-lo, se em qualquer ponto que você sente que sua vida esteja ameaçada. Lembre-se, esta pessoa quer morrer e nesse momento deseja alcançar seu objetivo, incluindo levá-lo a morte ou um colega policial ou até mesmo civil que esteja a seu alcance.

Lembre-se que, embora uma resolução pacífica seja certamente o resultado desejado, não deve vir à custa de sua segurança.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *